PROCESSO

A VALORMED DISPONIBILIZA AOS CIDADÃOS PORTUGUESES, ATRAVÉS DOS CONTENTORES QUE SE ENCONTRAM INSTALADOS NAS FARMÁCIAS COMUNITÁRIAS E LVMNSRM (LOCAIS DE VENDA DE MEDICAMENTOS NÃO SUJEITOS A RECEITA MÉDICA), UM SISTEMA CÓMODO E SEGURO PARA SE LIBERTAREM DAS EMBALAGENS VAZIAS E MEDICAMENTOS FORA DE USO OU DE PRAZO DE VALIDADE QUE TÊM EM SUAS CASAS.

ESTE TIPO DE RESÍDUOS É CONSIDERADO COMO UM “RESÍDUO ESPECIAL” E, POR ISSO, DEVE SER RECOLHIDO SELECTIVAMENTE E SOB CONTROLO PARA DEPOIS SER PROCESSADO EM LOCAIS DE TRATAMENTO ADEQUADOS.

 

Mas, afinal, como é que tudo se passa?

Uma vez cheios, os contentores são selados e entregues pelos pontos de recolha aos distribuidores de medicamentos, que os transportam para as suas instalações e os conservam em contentores estanques. Quando é atingida uma determinada quantidade de armazenagem, são transportados para um Centro de Triagem por um operador de gestão de resíduos.
No Centro de Triagem os resíduos são separados e classificados para, finalmente, serem entregues a gestores de resíduos autorizados que ficam com a responsabilidade do seu tratamento:
- Reciclagem do papel, cartão, plástico e vidro.
- Incineração segura com valorização energética dos restantes resíduos, nomeadamente, restos de medicamentos.


Os portugueses têm aderido ao sistema? 

As taxas de recolha dos resíduos geridos pela VALORMED têm vindo a aumentar de ano para ano. Tal fica a dever-se às sucessivas campanhas de informação e sensibilização desenvolvidas e direcionadas aos cidadãos, os quais, cada mais sensíveis e alertados para a necessidade de preservação do ambiente e proteção da saúde pública, utilizam os pontos de recolha da VALORMED para fazerem a entrega e deposição dos resíduos gerados após a utilização doméstica dos medicamentos.

Todos direitos reservados ValorMed ©.